Notícias em O melhor do bairro de Bairro Alto, Curitiba, PR

domingo, 26 de março de 2017

RODÍZIO DE PIZZA NO BAIRRO ALTO EM CURITIBA

RODÍZIO DE PIZZA NO BAIRRO ALTO EM CURITIBA

 

Neste dia 28 de Março na próxima Terça-Feira, a partir das 18 horas, você tem um compromisso irresistivel, apreciar os sabores do Melhor Rodizio de Pizza no Bairro Alto em Curitiba, pois a Pizzaria Giovanella passará a atender neste sistema, além, do seu tradicional sistema À La Carte, venham, conheçam o novo ambiente e se surprendam com os sabores e aproveitem, pois a inauguração vai ser espetacular.

 

sábado, 24 de maio de 2014

Palavras ligadas à Copa do Mundo agora pertencem à Fifa

Quase 200 termos e expressões são de uso exclusivo da entidade e dos patrocinadores

22 de maio de 2014 | 7h 05
 
Jamil Chade - Correspondente - O Estado de S. Paulo

GENEBRA - Além de estádios e Centros de Treinamento espalhados pelo Brasil afora, a Fifa agora controla até mesmo a língua portuguesa. Quase 200 palavras e expressões somente poderão ser usadas para fins comerciais com a autorização da Fifa ou da CBF que, para liberar o uso, cobram verdadeiras fortunas. Até o nome do Brasil ligado ao ano de 2014 virou propriedade da Fifa. Já a palavra seleção pertence à CBF. O controle é tão grande que, para usar o nome Copa do Mundo para se promover, o governo brasileiro teve de pagar cerca de R$ 20 milhões à Fifa.

Brasileiros já estão no clima da Copa do Mundo - Bruno Kelly/Reuters
Bruno Kelly/Reuters
Brasileiros já estão no clima da Copa do Mundo
 

O registro desses termos e palavras tem como meta proteger os patrocinadores, que, em troca do direito exclusivo de usar esses termos e associar sua imagem à da Copa, pagaram à Fifa mais de US$ 1 bilhão (R$ 2,2 bilhões), um valor recorde na história da entidade.

A prática de registrar nomes e expressões não é nova. A Fifa chegou a montar uma patrulha durante os Mundiais de 2006 e 2010 para vistoriar as áreas próximas aos estádios e, dessa maneira, garantir que nenhuma marca fosse mostrada além das de seus patrocinadores. O Comitê Olímpico Internacional (COI) também adotou medidas draconianas por ocasião dos Jogos de Londres, em 2012, impedindo até mesmo que padarias imitassem os anéis olímpicos em seus pães.

Entretanto, no Brasil essa atitude ganhou uma dimensão inédita. A Fifa fechou um acordo com o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) para garantir um controle total sobre os nomes e expressões registrados e praticamente transformou a agência estatal em seu cartório particular.

Ao contrário do que o sentido comum poderia indicar, o Mundial que será disputado a partir do dia 12 de junho não é do futebol, mas da Fifa. Aliás, o nome oficial do evento é Copa do Mundo da Fifa, indicando claramente que existe um proprietário do Mundial.

A lei que tornou propriedade exclusiva da Fifa e da CBF uma série de termos corriqueiros relacionados ao futebol inclui ainda todos os nomes das sedes seguidos pelo ano de 2014. Assim, "Natal 2014", "Rio 2014" ou "Manaus 2014" só podem ser usados pelos anunciantes.

Nem mesmo o governo brasileiro está autorizado a usar o termo "Brasil 2014". Só a Fifa pode determinar quem tem o direito de usar esses termos em publicidade e produtos, ou mesmo em vitrines de lojas. Palavras que pouca ligação têm com o futebol, como pagode, acabaram sendo incluídas na lista da Fifa - há dezenas de casos ainda em disputa judicial.

A taça do Mundial também foi registrada e apenas os patrocinadores do evento podem utilizar a imagem do troféu mais cobiçado do planeta para promover as suas marcas.

A CBF, por sua vez, possui o direito exclusivo sobre termos como "seleção brasileira de futebol" e "seleção brasileira", ou simplesmente a palavra seleção. Até um pássaro entrou no esquema: "seleção canarinho" também é uma expressão de uso exclusivo da entidade.

PATROCINADOR 
O controle sobre o evento pela Fifa levou o governo a tomar uma atitude que surpreendeu até mesmo integrantes da administração federal. Para ter o direito de promover o País e suas exportações no exterior ao lado dos símbolos e termos da Copa do Mundo, o governo foi obrigado a se transformar em patrocinador do torneio.

O meio encontrado para isso foi fechar um acordo entre a Fifa e a Apex (Agência para a Promoção das Exportações), que custou aos cofres públicos R$ 20 milhões. Assim, o governo pode usar a Copa para se promover, trazer seus convidados, montar balcões nos estádios e ainda utilizar o logotipo da Copa. Tudo isso em território nacional, território que, por pouco mais de um mês, ficará sob o controle exclusivo da Fifa.

 

sábado, 29 de março de 2014

IR: Especialista dá dicas para contribuinte se organizar e não ser engolido pelo Leão

IR: Especialista dá dicas para contribuinte se organizar e não ser engolido pelo Leão.

 

Publicado por Nana Morais e extraido do site: www.Jusbrasil.com.br

 

Por Teo Cury

IR Especialista d dicas para contribuinte se organizar e no ser engolido pelo Leo

O prazo para entrega das declarações do Imposto de Renda de 2014 termina dia 30 de abril. Nessa época, o contribuinte fica atordoado com as informações, deixa tudo para a última hora e acaba cometendo erros que podem causar dor de cabeça mais pra frente, como cair na malha fina ou ter de pagar multas.

Eliana Lopes, coordenadora de Imposto de Renda da H&R Block, empresa especializada em Imposto de Renda, separou algumas dicas e sugestões para que o contribuinte não seja engolido pelo Leão. A primeira é se organizar, já que a declaração do IR fica muito mais fácil quando o contribuinte tem em mãos tudo o que vai precisar para fazer o preenchimento dos formulários.

Neste ano, além do uso de tablets e celulares (limitados a quem entregou a declaração no ano passado e não ficou na malha-fina), a novidade do IR é a declaração pré-preenchida. O único problema é que ela é restrita a quem tem o certificado digital da Receita, que tem um custo que nem sempre compensa para quem só faz a declaração anual.

Na declaração pré-preenchida, os dados de pagamentos de salários, por exemplo, já vêm no formulário, a partir das informações enviadas pelas empresas à Receita. O mesmo acontece com outros pagamentos aos quais a Receita também tem acesso e que são cada vez mais extensos.

Nota-se, portanto, que o fisco sabe de quase tudo o que ocorre na vida do contribuinte. E quem achar que dá para deixar de declarar algum rendimento ou gasto, pode ser pego pelo olho grande do leão. Abaixo, as dicas de Eliana para o contribuinte se organizar:

Use a declaração do ano passado

De acordo com Eliana, com o documento do ano anterior, fica mais fácil identificar os campos a serem preenchidos e o que mudou de um ano para outro. Além disso, a declaração anterior pode servir como um “check list” para a organização de todos os documentos que serão necessários para o preenchimento do formulário deste ano. “Isso ajuda muito, principalmente na parte de declaração de bens, para o contribuinte lembrar do que comprou e vendeu durante o ano”, diz a coordenadora.

Organize os documentos

O primeiro passo para fazer a declaração é organizar os documentos, explica Eliana. Pode ser uma pasta em que o contribuinte vá reunindo todos os comprovantes necessários. Além de facilitar o preenchimento, essa organização ajudará a detectar documentos que estejam faltando e que, se ficarem para a última hora, podem atrasar a declaração. “Às vezes é preciso pedir os comprovantes de gastos com dentista, despesas médicas, planos de saúde, educação, ou comprovantes de rendimentos”, diz.

Caça ao dentista

Nesse processo, é comum o contribuinte descobrir que o recibo do médico ou do dentista não está assinado ou não tem o CPF ou CNPJ do emissor ou a descrição do serviço prestado. “Aí vai ser preciso pedir uma nova via para evitar problemas no futuro, e fazer isso no último dia do prazo de entrega é dor de cabeça”, alerta. Há ainda as informações dos dependentes, que o contribuinte acaba lembrando só na hora de preencher o formulário.

Tá tudo comprovado?

A organização ajuda também o contribuinte a se prevenir de eventuais contestações do fisco. “Como a Receita tem muitas fontes de informação, se ela discordar de um dado da declaração, o contribuinte precisa ter como provar o que escreveu”, diz. Apesar de a declaração ser toda feita na internet e os documentos ficarem com o contribuinte, a Receita pode exigir a apresentação dos comprovantes nos cinco anos seguintes ao da entrega, por isso é bom ter já um lugar para guardar todos os papéis.

Investimentos

Os investimentos em bancos são fáceis de organizar, uma vez que as instituições mandam os informes consolidados com saldos e rentabilidades de cadernetas, fundos, previdência e conte-corrente já separados por tipo de tributação e local de declaração.

Já na renda variável ou fundos imobiliários, é o investidor que precisa recolher os documentos.

Muitos contribuintes não sabem, mas também é preciso ter em mãos as informações referentes às compras e vendas de ações mesmo que as operações tenham sido isentas. Isso porque vendas de ações até R$ 20 mil por mês não pagam imposto. Mas se o valor for superior, é preciso pagar 15% sobre o ganho até o fim do mês seguinte ao da venda. É importante declarar também os prejuízos com ações, pois é possível abater as perdas nos ganhos futuros dos anos seguintes. Mas para isso é preciso ter declarado.

Quem não fez o acompanhamento deve ir atrás de sua corretora para pedir as notas de corretagem, documento que torna possível registrar as operações de venda e incluir na declaração de bens as entradas e saídas de papéis.

O valor das ações é sempre o do custo da aquisição das ações, sem atualização. Se forem feitas muitas compras, o preço é calculado pela média, somando todos os valores pagos e dividindo o resultado pelo número de ações.

Comprovantes de rendimentos

Um dos motivos recorrentes de queda na malha fina é a omissão de rendimentos. Os contribuintes devem informar toda a renda tributável que ganharam, incluindo as que tiveram imposto retido na fonte, como no caso dos salários de funcionários de empresas. Esquecer de declarar um valor implica em pagamento de multa equivalente a um percentual da quantia não declarada. Segundo Eliana, a falta de conhecimento e o esquecimento dos contribuintes é o principal motivo para a omissão de rendimentos. “A pessoa está fazendo a declaração e se esquece de informar os rendimentos de aluguel, ou ainda recebeu valores de ações judiciais trabalhistas, por exemplo, e não informa”, disse.

No caso dos aluguéis, por exemplo, as imobiliárias informam à Receita os valores pagos e recebidos. O imposto sobre aluguel deve ser pago no mês seguinte ao do recebimento, pelo carnê-leão. Se o contribuinte não fez isso, terá de pagar agora, com multa e correção.

Há também os rendimentos recebidos de planos de previdência privada que, se não tiverem tributação na fonte, engrossam os rendimentos tributáveis na declaração. Doações recebidas também devem ser declaradas, bem como a origem do valor ou do bem.

Comprovantes eletrônicos

Algumas empresas já estão entregando para o empregado declarações de rendimento eletrônicas, que transferem automaticamente os dados para a declaração. Mais que a praticidade de não precisar preencher os campos, o sistema reduz o risco de erros. “É normal o contribuinte errar os valores ou os lugares onde colocar o 13º salário, que é tributado na fonte e não pode ser somado ao salário, as férias ou o INSS”, diz Eliana.

Participação nos lucros

O formulário do imposto de renda deste ano traz como novidade um espaço para a declaração dos valores recebidos de participações nos lucros, e que a partir do ano passado estão isentas até R$ 6 mil. Acima desse valor, há a tributação exclusiva na fonte, com alíquotas a partir de 7,5%. Mas o imposto pago, que era passível de restituição na declaração, agora não é mais.

Despesas que podem ser deduzidasA lista de itens que podem ser deduzidos é relativamente pequena, limitando-se a despesas médicas, dentistas, psicólogos, planos de saúde ou despesas com instrução básica do contribuinte ou de seus dependentes.

No caso da educação, há um limite de R$ 3.230,00 e não é permitido abater cursos de inglês ou cursinhos preparatórios ou esportivos. “Só podem ser deduzidas despesas com curso fundamental, colegial, faculdade ou pós-graduação, tanto no Brasil quando no exterior, até o limite estabelecido”, diz.

Quem tem filho estudando fora, em cursos de graduação ou pós-graduação, por exemplo, pode abater o valor. Já cursos de línguas não são dedutíveis.

No caso de saúde, não há limite de dedução. Para Eliana, é bom conseguir juntar antes todos os documentos. E avisa: o contribuinte não pode colocar nenhuma despesa que não puder comprovar.


Fonte: http://br.financas.yahoo.com/blogs/blog-pavini/ir-especialista-d%C3%A1-dicas-para-contribuinte-se-or...

Nana Morais

segunda-feira, 15 de abril de 2013

POLICIAIS MILITARES APREENDEM 347 PEDRAS DE CRACK NA RMC.

 

Policia Militar

14/04/2013

Policiais militares apreendem 347 pedras de crack na RMC

Ação realizada na tarde desta sexta-feira (12/04) no município de Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), por policiais militares da Agência de Inteligência Local (ALI) do Regimento de Polícia Montada (RPMon), resultou na apreensão de 347 pedras de crack e mais de R$ 1,3 mil em dinheiro.

Os policiais realizavam patrulhamento pelo Bairro Alto, em Curitiba, por volta das 14 horas, quando receberam uma denúncia de que perto de uma ponte, localizada na Avenida da Integração, divisa com o município de Pinhais, algumas pessoas estariam traficando drogas.

A equipe se deslocou até o endereço, onde realizou a abordagem de um homem, conhecido como “Netinho”, e localizou com ele 43 pedras de crack. O suspeito informou aos policiais onde havia adquirido o entorpecente, em uma residência na Rua Alzira de Araujo Souza, no mesmo município.

No local, os policiais encontraram dois homens embalando crack em um quarto e, após buscas, localizaram 304 pedras de crack, uma pedra grande da droga de 16 gramas, pronta para ser embalada, R$ 1.335,85 em dinheiro e duas placas de carros roubados.

Os policiais também localizaram na casa um Celta, na cor prata, batido e sem as placas. Os três envolvidos foram levados, juntamente com as drogas e o dinheiro apreendido, à Delegacia de Polícia de Pinhais para as providências cabíveis.

NOTÍCIA ORIGINALMENTE VEICULADA EM: http://www.seguranca.pr.gov.br

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Concurso para Polícia Militar do Paraná- Remuneração R$3.225,99

Polícia Militar anuncia Edital de Concurso Público 2012

A Fundação de Apoio à FAFIPA (Faculdade Estadual Educação, Ciências e Letras de Paranavaí - PR), organizadora do concurso público da Polícia Militar do Paraná 2012, divulgou na manhã de ontem a informação de que em breve será publicado o Edital de Abertura do certame. 

Concurso - Polícia Militar do Paraná

O banner disponível no site: http://www.fafipa.org/site/ antecipa que serão abertas 4.445 vagas para Policiais Militares e 819 vagas para Bombeiros, com taxa de inscrição de R$ 85,50. Ambos os cargos exigem dos candidatos nível médio completo. Durante a escola de formação, o Soldado de 2ª Classe (Policial Militar / Bombeiro Militar) terá direito a Bolsa Auxílio no valor de R$ 1.463,03.  Finalizado o curso de formação, o candidato ao ser promovido a Soldado de 1ª Classe (Policial Militar / Bombeiro Militar), passará a receber remuneração de R$ 3.225,99.

As cidades de aplicação de provas serão: Campo Mourão, Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Guarapuava, Ivaiporã, Jacarezinho, Londrina, Maringá, Paranaguá, Paranavaí, Ponta Grossa, Telêmaco Borba, Umuarama e União da Vitória.

Os candidatos interessados devem ficar atentos às informações presentes no site da organizadora e da Polícia Militar do Paraná.

Para maiores informações, entre em contato com o Centro de Recrutamento e Seleção da Polícia Militar do Paraná pelo e-mail: concursos@pm.pr.gov.br ou com a Fundação de Apoio à FAFIPA pelo e-mail de atendimento ao candidato: concursopmpr@fafipa.org

1 | 2 | Próximo >