Compartilhamento de scooters chega ao Brasil
- Notícias - O melhor do bairro de Moema, São Paulo, SP

domingo, 22 de setembro de 2019
      

Compartilhamento de scooters chega ao Brasil

 
A economia de compartilhamento ganhou recentemente mais uma opção. E o usuário, mais uma alternativa para se locomover. Primeiro em São Paulo, que recebeu em abril as primeiras scooters da Riba Share, pioneira nesse tipo de serviço de compartilhamento no país.
 
Até o fim deste ano, serão cem unidades a se misturar à paisagem de Pinheiros, Jardins, Jardim Europa, Ibirapuera, Moema, Vila Nova Conceição, Itaim Bibi, Vila Olímpia, Campo Belo, Brooklin e região da Berrini.
 
À medida que aumente o número de “Ribas”, o projeto avançará para outros bairros.  Até o fim do primeiro semestre de 2020, já serão cerca de mil unidades rodando por São Paulo.
 
A Riba Share não usa estações (dockless) e sua bateria tem autonomia de aproximadamente 70 quilômetros, com carga máxima. O usuário pode rodar à vontade, basta deixar a Riba em uma vaga demarcada para motos dentro da região de prestação do serviço e fazer o check out por meio do app.  Se a carga estiver abaixo de 20%, aquela Riba será bloqueada para novos usuários até que uma equipe da empresa chegue ao local para trocá-la por uma bateria carregada. E o usuário poderá checar pelo aplicativo essa autonomia, antes de escolher aquela unidade para usar.
É por meio também do app que o usuário poderá encontrar uma Riba perto dele, reservá-la e, uma vez próximo da scooter, fazer o check in. Não há chaves, a partida é dada também por meio do app, bem como a abertura do compartimento de carga, onde fica o capacete.
 
Com a aquisição de 10 minutos a R$ 5,90, o usuário poderá iniciar uma viagem. Cada minuto adicional custará R$ 0,75. Uma viagem de 15 minutos sai por R$ 9,65 reais.
 
Para pilotar uma scooter, é necessário possuir a habilitação do tipo A ou ACC, mas o modelo adaptado para o mercado brasileiro é leve e muito fácil de manejar, nem marcha é preciso passar. A Riba está limitada a 50 quilômetros por hora, o bastante para trafegar em segurança, sem abrir mão da agilidade.
 
O aplicativo foi desenvolvido em parceria com a CEiiA, um centro de excelência em engenharia e inovação com ampla experiência em projetos de mobilidade urbana na Europa. A tecnologia empregada permite monitoramento em tempo real e o controle remoto da frota.
 
Este conteudo foi publicado originalmente em Metrojornal.com.br